Desejo de suicídio: como enfrentar?

desejo-de-morte

Por que o desejo de suicídio tem se tornado tão comum na contemporaneidade? O suicídio é algo tão grave que não pode ser noticiado nos meios de comunicação. Caso fosse divulgado, isso poderia aumentar as taxas de autoextermínio por aprendizagem social. Ao contrário do que se pensa, o suicídio pode ocorrer em qualquer idade, inclusive em crianças e adolescentes.

Pelo ponto de vista psicológico, o suicídio pode ser classificado como impulsivo ou planejado. No suicídio impulsivo, a pessoa se mata por falta de controle, afunilamento da consciência e alterações cognitivas. Já no suicídio planejado, a pessoa se mata após realizar uma sequência de procedimentos: fantasiar, buscar meios e consumar o ato. Em ambos os casos, o suicídio geralmente está relacionado a outras comorbidades, como depressão.

Pelo ponto de vista sociológico, o suicídio pode ser classificado como egoísta, altruísta ou anômico. No suicídio egoísta, a pessoa se mata por razões individualistas, como não se identificar com familiares, sociedade e grupos sociais. Já no suicídio altruísta, a pessoa se mata por motivos coletivistas, como partido político, religião ou ideologia. Por fim, no suicídio anômico, a pessoa se mata por pressões, mudanças e caos social, como desemprego e instabilidade política.

Muitas pessoas concordarão que estamos vivendo uma verdadeira guerra psicológica na atualidade. Os jovens são os que mais sofrem diante o terrorismo político. O desejo de suicídio pode ser trabalhado por meio do aprimoramento das funções psicológicas superiores. A psicologia é uma ciência que promove o autoconhecimento para o enfrentamento do mundo caótico contemporâneo.

Conheça o Projeto Psicológico Especializado


WAF PSI© (31) 9 9385 6239, Contagem, MG, Brasil.