Psicólogo online: como encontrar um bom?

Read More
encontrar-psicoterapeuta-online

Como encontrar um bom psicólogo online no meio de tantos charlatões, espiritualistas e gurus na internet? Infelizmente, muitas pessoas se dizem psicoterapeutas na internet, sem serem realmente psicólogos. Há muito charlatanismo na internet e muitas pessoas são facilmente enganadas e manipuladas. Abaixo, darei algumas dicas importantes para encontrar um bom psicólogo online:

  1. Tenha consciência de que você está vulnerável psicologicamente;
  2. A fragilidade psicológica o coloca em risco de enganações, hipnoses e abusos;
  3. Previna-se de falsos psicoterapeutas, como espiritualistas, gurus e conselheiros;
  4. Desconfie de curas milagrosas, mudanças rápidas e felicidade plena;
  5. Desconfie de pessoas muito humanizadas, puras e solidárias;
  6. Lembre-se do caso do “espiritualista” João de “Deus”, por exemplo;
  7. Investigue se o “psicoterapeuta” é realmente um psicólogo de formação;
  8. Averigue se o psicólogo online tem CRP ativo no Conselho de Psicologia;
  9. Confira se o site tem o selo de segurança do Conselho de Psicologia;
  10. Saiba que psicologia é uma complexa área científica, filosófica e ética;
  11. Entenda que psicologia não é conselho, bate-papo e autoajuda;
  12. Pergunte ao psicólogo online se tem um projeto psicoterápico de intervenção;
  13. Pergunte-o com quais abordagens psicológicas trabalha clinicamente;
  14. Pergunte-o se há evidência científicas de efetividade dessas abordagens;
  15. Pergunte-o quais os métodos e técnicas psicológicas são utilizados;
  16. Pergunte-o se os testes e questionários possuem validade científica;
  17. Pergunte-o acerca de suas formações, experiências e aperfeiçoamentos.

Ao procurar um psicólogo online, saiba que há muitas pessoas na internet que se dizem psicoterapeutas, sem serem realmente psicólogos. Há até mesmo vídeos de ASMR, não raro irresponsáveis, propondo “tratamentos” para doenças mentais graves, como transtornos de pânico. Conheça o projeto psicoterápico Atendimento Psicológico Especializado, da WAF Psicologia, e garanta logo a sua vaga.

Fale comigo.

Os antidepressivos não curam: podem ser fuga da realidade

Read More
medicamentos-antidepressivos

Os antidepressivos, ao contrário do que muitos pensam, não curam: podem ser fuga da realidade. Esses medicamentos apenas mudam a fisiologia do cérebro, obviamente, sem alterar a realidade. Enquanto algumas pessoas cheiram cocaína para melhorar o humor, outras se entopem de antidepressivos.

O Brasil é um país com fortes traços totalitários, autoritários e escravocratas. Os antidepressivos não curam corrupções, crises políticas e econômicas (não raro, geradas propositalmente). Os antidepressivos também não curam traições, injustiças e vazio existencial. Esses são fatos reais que promovem depressão, mas as pessoas precisam encarar a realidade.

As pessoas têm o péssimo hábito de fugir da realidade, como fazer piadinhas e se entreter com idiotices. Elas procuram falsas religiões, autoajuda e pseudociências tentando melhorar o humor. Não raro, acabam mais depressivas, com ideias delirantes e alucinatórias. Quantas ideias malucas as pessoas inventam para fugir da realidade e acabam suicidando?

Aqui, vale destacar que os depressivos têm a percepção da realidade, a memória e o raciocínio comprometidos. Ao encararem a realidade, os depressivos melhoram o humor, por descobrirem as suas potencialidades. Por isso, é de fundamental importância que os depressivos tenham sempre consciência de que suas mentes estão “bugadas”.

Os antidepressivos são utilizados de forma banalizada e irresponsável, sendo verdadeiros problemas de saúde pública. Muitas pessoas têm dificuldades em encarar a realidade, mas podem desenvolver competências psicológicas. WAF Psicológica: Atendimento Online (sessão 1h30min) é uma clínica onde a depressão é tratada em suas “raízes”.

Fale comigo.

Depressão na infância: “meu filho está com depressão?”

Read More
depressao-na-infancia

A depressão na infância geralmente possui relações com a estrutura e funcionamento da família. Os problemas nas relações familiares podem refletir na saúde mental fodas crianças. Por isso, é importante que os familiares preservem as crianças de seus problemas pessoais.

A depressão infantil tem algumas peculiaridades em relação a depressão adula. Geralmente, a criança não consegue compreender e explicar o que sente. Assim, a depressão infantil pode ser expressão por meio de irritabilidade, agressão e insônia. Em outras palavras, não se deve pensar que depressão é apenas triste. “Meu filho está com depressão?” é uma resposta para um profissional!

Muitas famílias não preservam as crianças e as deixam angustiadas. Os familiares devem resolver os seus problemas sem envolver as crianças. Na WAF Psicologia: Atendimento Online (sessão 1h30min), dispomos de treinamento científico de país para que possam aprender a lidar melhor com as crianças.

Fale comigo.

 

Será que estou ficando louco?

Read More
sera-que-estou-ficando-maluco

“Será que estou ficando louco?” Essa é uma pergunta que muitas pessoas se fazem em alguns momentos da vida. Por um lado, ela denota que a pessoa ainda têm autocrítica sobre sua própria saúde mental. Por outro lado, ela denota também que a pessoa passa por algum problema psicológico não identificado. O grande problema de muitas doenças mentais, como a louca, está no fato de que a consciência pode oscilar durante o tempo. Por isso, em alguns momentos, a pessoa percebe que está ficando louca, mas noutros delira e alucina.

“Será que estou ficando louco?” é uma frase que apenas profissionais qualificados de saúde mental, como psicólogos, podem responder. O diagnóstico das doenças mentais, como a loucura, é extremamente complexo, porque envolvem diferentes ciências sintomas interconectados. Na WAF Psicologia: Atendimento Online (sessão 1h 30min), você tem um espaço especializado, integral e humanizado para promoção do autoconhecimento. Conheça nosso projeto e participe Atendimento Psicológico Especializado.

“Será que estou com depressão?”

Read More
será-que-estou-com-depressão

“Será que estou com depressão?”. Essa é uma pergunta que muitas pessoas se fazem ao sentirem tristeza. Ao buscarem respostas na internet, acabam ainda mais confusas. Infelizmente, há muitas informações equivocadas sobre o assunto e mesmo oportunistas. Quantos “testes” de depressão existem em sites de pseudociências que apenas deixam preocupam as pessoas?

O diagnóstico da depressão, assim como de todas as doenças mentais, é extremamente complexo. A maioria das psicopatologias não apresenta apenas um único sintoma. Na verdade, é uma rede de sintomas, nosológica, que possibilita o diagnóstico da doença mental. Por exemplo, a depressão pode estar relacionada a desemprego, separação ou traição amorosa. Além disso, ela pode estar associada ao transtornos endócrinos, alimentares e mesmo tumores cerebrais.

Muitas pessoas acham que depressão é uma espécie de tristeza mais profunda, o que não é verdade. A tristeza profunda é apenas o sintoma mais evidente, não raro reativo ao comprometimento cognitivo. Além das alterações de humor, há comprometimento da percepção, memória, pensamento, self etc. Dizendo de forma metafórica, podemos dizer que o sistema cognitivo deu “bug” e nem a própria pessoa consegue perceber.

Na WAF Psicologia: Atendimento Online, o diagnóstico da depressão, bem como outras doenças mentais, é realizado com auxílio de escalas psiquiátricas. Elas foram submetidas a estudos científicos, por meio de procedimentos psicométricos, e utilizadas em vários países. Quantas pessoas perdem tempo, na internet, com “testes” de depressão que não possuem validades científicas certificadas?

Fale Comigo.